O Que é Uma Tromba-D’água?

Conhecido como “tromba de água” ou “tromba-d’água” esse fenômeno consiste numa grande coluna de água cuja aparência lembra a de um funil. Esse fenômeno é formado com um corpo de água que se liga a uma nuvem cumuliforme. Pode acontecer de a tromba-d’água ser resultado de um mesociclone, em geral nesse caso é bem mais fraca.

Imagem de Amostra do You Tube

Uma coisa importante de enfatizar é que a tromba-d’água não aspira água do curso de água sobre o qual está posicionada. Toda aquela água que faz parte da forma de funil é na verdade gotas d’água formadas a partir de condensação.

Geralmente as trombas-d’água são mais comuns de aparecerem em regiões que tem um clima predominantemente tropical em latitudes maiores. Contudo, existem ocorrências desse fenômeno também em zonas temperadas como os Grandes Lagos na América do Norte e na Europa.

Curiosidade

No Brasil assim como em outras áreas esses fenômenos são bastante confundidos com uma chuva muito forte numa região pequena.

Como Acontece a Formação das Trombas-d’Água

A formação de uma tromba-d’água pode se dar através de uma nuvem pequenina como uma cumulus moderada ou mesmo a partir de uma nuvem bem grande como uma supercécula. Em geral as trombas são fracas e não causam muitos problemas, contudo, existem aquelas que causam verdadeiras devastações por onde passam.

A diferença do impacto se deve as diferentes dinâmicas atmosféricas. Na maior parte dos casos de tromba-d’água o seu desenvolvimento acontece num ambiente de alta umidade que conta com nuvens carregadas e que ainda estão se formando. As nuvens giram e se direcionam para cima indo além do limite da superfície. A formação de uma tromba dessas pode ser comparada com a formação de pequenos tornados.

Por Dentro do Funil de Água

O Começo

Na maioria dos casos uma tromba-d’água  se forma a partir de grandes nuvens de tempestade (mas, pode se formar também a partir de nuvens menores). As nuvens na maior parte dos casos têm 12 km de altura e 10 km de diâmetro. O fenômeno acontece devido ao fato de que correntes de ar quente começam um trabalho de levar umidade para as camadas mais elevadas da atmosfera.

Choque de Correntes

Durante as estações de clima ameno em especial na primavera as correntes de ar quente e úmido sobem do mar e acabam se chocando com o ar seco e frio das camadas mais altas. No interior da nuvem acontece o choque entre as correntes que cria uma espécie de espiral de ventos. Essa espiral pode aumentar consideravelmente de acordo com a força das correntes.

Chegando ao Mar

Assim que a intensidade das correntes se torna muito grande o turbilhão de ventos acaba se expandindo e chega então à superfície do oceano. Quando a tromba é marinha ela acaba soprando gotículas de água para dentro da espiral. As rajadas de baixa atmosfera impulsionam o tornado oceânico molhado que tem até 1 km de altura e 100 metros de diâmetro que segue rumo ao continente.

Deslocamento Perigoso

Em geral as trombas d’água representam perigo quando se deslocam pelo mar. Acontecem casos em que ventos superiores a 60 km/h atingem embarcações pequenas, pode virar canoas e barcos a remo, por exemplo. Contudo como esse turbilhão d’água avança a pouco mais de 20 km/h os navios que possuem motor desviam com bastante facilidade dessas tempestades.

Chegada ao Continente

Assim que a tromba-d’água  chega ao continente entra em contato com construções do litoral o que causa uma chuva intensa e rápida. Em geral esse tipo de tempestade não gera inundações uma vez que os pingos caem no decorrer da trajetória da espiral e numa única área. Além disso, os ventos também não são muito fortes o que faz com que não derrubem galhos e nem mesmo destelhem casas.

A Dispersão

Após passar pelo atrito com a terra firme assim como com as construções do litoral grande parte das gotas já caiu e ficou no continente. Os ventos também perdem a sua força e a tromba-d’água  por fim começa a se dispersar. Esse processo é todo bem rápido e normalmente não dura mais do que 20 minutos.

Confusão de Conceitos

A ideia de tromba-d’água  costuma deixar as pessoas bem confusas, pois num sentido mais popular se trata basicamente de uma chuvarada muito forte e que fica restrita a uma região específica. Contudo, os cientistas definem a tromba-d’água  como sendo o que explicamos acima.

Podemos definir de maneira mais simples a tromba-d’água como sendo um tornado que é formado numa superfície de água que sai pegando a umidade pelo caminho e assim chegando rumo ao continente. É comum que as trombas d’água surjam a partir de nuvens logo acima do mar, mas esse fenômeno também pode acontecer sobre rios que sejam muito caudalosos como aqueles da Amazônia.

Aparência Não é Tudo

A aparência de uma tromba-d’água  pode ser bem assustadora, mas no fundo esse turbilhão de água não é assim tão terrível, pois não causa muita destruição se for comparado com tornados que se formam no continente, por exemplo, que possuem rajadas que passam dos 200 km/h.

Dessa forma podemos dizer que as trombas d’água são bem mais amenas, os sopros delas chegam ao no máximo 80 km/h. A formação da espiral de ventos depende e muito do aquecimento da superfície. O mar aquece bem menos do que a terra firme e dessa forma as correntes de ar quente ajudam a formar os chamados tornados oceânicos que são bem menos intensos.

Problema

O grande problema em relação as trombas-d’´água é que muitas delas se formam numa mesma região. Também pode acontecer de uma região ser afetada pela tromba e também pelas chuvas torrenciais da nuvem que deu origem a tromba. Nesse tipo de situação a tromba pode se tornar verdadeiramente devastadora.

Tirando esses casos essa tromba-d’água não costuma ser motivo de grande preocupação e se observada de um local seguro pode até mesmo se configurar num belo espetáculo da natureza. A próxima vez que alguém lhe disser que está caindo uma tromba-d’água você irá pensar duas vezes antes de concordar, não é mesmo?

Outros Artigos

Desastres Naturais – Grandes Terremotos

Desastres Naturais – Grandes Terremotos(0)

A natureza é uma força incontrolável e imprevisível, ao mesmo tempo que adoramos ela por sua beleza e vida que traz para nós também devemos teme-la, pois, alguns segundos de um terremoto pode por abaixo até as cidades mais desenvolvidas do globo terrestre. São pequenos momentos que determinam o fim de muita coisa, um perigo

Desastres Naturais Marcam 2009

Desastres Naturais Marcam 2009(0)

Quando vemos desastres naturais acontecendo pelo mundo todo nos perguntamos o que há de errado. Pois, há muito tempo que o homem sabe que suas ações se refletem em problemas insolúveis para o futuro. Por isso é importante ver como os desastres naturais são impiedosos e tentar por um fim neles. Neste vídeo veremos a

leia mais

0 comentários

Enviar Comentário

Nome:
E-mail:
Site:
Comentário:

Links Patrocinados

Arquivo

Siga-nos!

Categorias mais Procuradas

© 2010-2019 Mega Artigos Todos os direitos reservados. Política de Privacidade